Header

FAROL (1998)

setembro 7th, 2007 | Posted by admin in Textos

[photopress:Tormentas.jpg,full,pp_image]
Tormentas de Ricardo Verde Costa

A palavra foi arremessada no ar…
Quem terá escutado a concretude dela?
O vento assobia forte
para fazer perder o significado do grito.
As nuvens choram o silêncio corrompido
entre sorrisos e olhares mascarados.
Armaram uma tormenta no céu!
O homem do farol diz que lamenta…
Há luzes por todo lado!
Quem há de querer partir?
O homem solitário do farol diz
que a tormenta não há de querer vir…
e que todas as luzes apontam para além da escuridão.
Quem poderá enxergar a luz da alma
nas mais fundas das criaturas?

M. Tânia Carvalho

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 You can skip to the end and leave a response. Pinging is currently not allowed.

Leave a Reply