Header

Kabalah

Sabedoria da Kabalah

A Tradição oral, repassada de mestre para mestre, ensina que qualquer obra sobre a Kabalah não revela o essencial, menciona a verdade, mas não a conta. Diz que se pode chegar aos Mundos Superiores, mas só ensina o caminho para aqueles que se comprometem a percorrê-lo. Daí, ela ser transmitida através do tempo em círculos iniciáticos, por um Mestre vivo, o qual guia o Iniciado nesse processo de auto-descoberta.

Mas havia sido dito que a Kabalah deveria ser aberta quando a humanidade estivesse sedenta por uma luz que lhe revelasse o propósito da vida e que ensinasse o caminho de volta aos Mundos Superiores. Uma realidade da qual ela se sente apartada, guardando apenas uma vaga sensação de algo perdido.

Assim, a AD’OR, através da Linha Adoriana de Pensamento (LAP), participa dessa revelação, proporcionando a luz da Kabalah aos que anseiam entender e descobrir qual o real sentido da vida.

A LAP ensina que a Kabalah é uma ciência oculta, um conhecimento, uma sabedoria, um recebimento e uma prática. Uma ciência oculta que fala de Mundos Superiores e de uma realidade que não pode ser percebida através dos cinco sentidos. Um conhecimento que fala de um tempo antes da Criação, uma sabedoria que ensina um novo sentir e perceber o mundo concreto, um recebimento que nos prepara para nos abrirmos para receber a luz emanada pelo Criador e uma prática cotidiana de uma verdade entregue à humanidade há milênios.

A LAP diz que tudo que nos acontece contém a oportunidade para subir mais um degrau na evolução espiritual. Que os eventos são como pérolas a serem construídas e reveladas dentro de nós mesmos, num magnífico exercício de auto-correção. Um caminhar essencial para que possamos atravessar as barreiras que nos aprisionam neste mundo percebido.

A mestra fundadora da AD’OR, Tânia Carvalho, ensina que a Kabalah é seletiva, ela escolhe quem está preparado para receber a sua revelação. E o buscador que deseja abrir essa porta deve se apresentar a esta sabedoria com a intenção de que ele não deseja mais conhecimento, mas apenas completar em si a Obra do Criador.

Leave a Reply